Sindipetro/MG faz ato em defesa da vida e contra acidentes na Petrobrás Sindipetro/MG faz ato em defesa da vida e contra acidentes na Petrobrás

Diversos, Notícias | 11 de fevereiro de 2016

Luiz Augusto Cabral de Moraes, técnico de operação da Reduc, é o nome do último trabalhador vítima da política de insegurança do Sistema Petrobrás. O operador caiu dentro de um tanque, com óleo desasfaltado, cuja temperatura era de 75°C. O teto do reservatório cedeu, quando o operador subiu para aferir o nível de armazenamento.

O corpo estava desaparecido desde o último domingo e foi encontrado na tarde da terça-feira, 2. O que aconteceu na Reduc foi uma tragédia anunciada. Durante uma inspeção de equipamentos na refinaria no ano de 2013, a troca do teto do tanque onde o operador morreu foi recomendada.

Em 2014, o Ministério do Trabalho interditou vários desses reservatórios devido ao nível acentuado de corrosão nas escadas de acesso e nos tetos.
Além disso, o Sindipetro Caxias já havia feito várias denúncias sobre as condições precárias de segurança dos tanques, que, além do processo acentuado de corrosão, não têm iluminação adequada, pontilhão (passarela para acesso), corrimão e guarda-corpo.

SINDIPETRO/MG FAZ ATO EM DEFESA DA VIDA

Em defesa da vida e em repúdio contra a precarização das condições de trabalho, o Sindipetro/MG realizou na manhã de quarta-feira, 3, um ato na portaria da Regap com atraso na entrada de expediente. Esperamos que essa tragédia não vire mais um número na estatística de acidentes da Petrobrás. Não garantir as condições de segurança e expor a vida a risco, é crime!

Sindipetro/MG

Sindipetro/MG faz ato em defesa da vida e contra acidentes na Petrobrás