Greve geral: petroleiros de Minas saem às ruas contra reformas de Temer Greve geral: petroleiros de Minas saem às ruas contra reformas de Temer

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 2 de maio de 2017

montagem-28-de-abrilNo último dia 28, os petroleiros paralisaram suas atividades se juntaram às demais classes trabalhadoras e movimentos sociais na luta em defesa da Petrobrás e contra as reformas do governo Temer. Em Belo Horizonte, milhares de pessoas aderiram à greve geral e saíram às ruas em um dos maiores atos contra a retirada de direitos do povo brasileiro.

Apesar da chuva forte que caía na capital mineira, a concentração convocada pela CUT teve início por volta de 9h na Praça da Estação. Por volta de 11h, os manifestantes saíram em marcha até a Praça 7, onde se juntaram aos trabalhadores representados por outras centrais sindicais e realizaram um grande ato. Após o protesto, parte do grupo se dispersou e outra parte seguiu até a praça da Assembleia Legislativa de Minas.

Além dos petroleiros, a greve geral de sexta-feira teve a adesão dos metroviários, rodoviários, eletricitários, professores das redes pública e privada de educação, auditores fiscais, bancários, metalúrgicos, funcionários dos Correios (que, inclusive estão em greve desde o dia 26 de abril lutando por melhores condições de trabalho), servidores públicos, entre outras categorias.

Além da Regap e da Termelétrica Aureliano Chaves, os trabalhadores da Usina de Biodiesel Darcy Ribeiro também pararam suas atividades e participaram de um ato contra a retirada de direitos em Montes Claros, no norte do Estado. Em Minas, houve atos em pelo menos outras 50 cidades.

Mais uma vez, a presença dos petroleiros na greve foi significativa, inclusive com a participação de supervisores, que serão os mais prejudicados com uma possível privatização da Petrobrás em Minas. Por isso, o Sindipetro/MG parabeniza a categoria e convoca todos para que se mantenham firmes na mobilização em defesa da empresa.

Missa do Trabalhador

No dia 1° de maio, dirigentes dos Sindipetro/MG e alguns petroleiros participaram da tradicional Missa do Trabalhador, na Praça da Cemig, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Antes do início da cerimônia, representantes de diversas categorias e movimentos sociais falaram sobre os impactos das propostas de Temer para a classe trabalhadora e para a sociedade de modo geral.

Um ato contra as reformas foi realizado ao final da missa e as centrais sindicais se reuniram para construir as próximas ações para barrar a aprovação das reformas da Previdência e trabalhista, que tramitam no Congresso Nacional.

Greve geral: petroleiros de Minas saem às ruas contra reformas de Temer