Petroleiros de Minas rejeitam proposta da Petrobrás Petroleiros de Minas rejeitam proposta da Petrobrás

Diversos, Notícias, De que lado você está?, Tribuna Livre | 29 de setembro de 2017

IMG_20170927_081031654_HDR.jpgNas assembleias realizadas ao longo desta semana, petroleiros da Regap, da Termelétrica Aureliano Chaves, da Transpetro e da Usina de Biodiesel Darcy Ribeiro, em Montes Claros, rejeitaram a proposta apresentada pela Petrobrás para o ACT 2017/2019. Reafirmando a posição de que “com redução de direitos, não tem acordo”, a maioria dos trabalhadores também votou a favor do estado de assembleia e de greve permanente e o fim das interinidades na empresa.
A proposta da Petrobrás revela uma tentativa de desmonte do ACT motivado por questões políticas. Para a FUP e seus sindicatos, não há justificativa econômica para uma proposta que extingue direitos e reduz em mais de um terço o ACT da categoria.
A Petrobrás propõe o fim do auxílio almoço, da Gratificação de Campo Terrestre, do Benefício Farmácia, do Programa Jovem Universitário, da promoção por antiguidade de Pleno para Sênior em cargos de Nível Médio, e redução das remunerações da hora extra, dobradinha, ,troca de turno, gratificação de férias, entre outros.

Petrobrás assina acordo da manutenção 

A Petrobrás assinou nesta semana o acordo sobre a realização de horas extras pelos empregados da Manutenção e Inspeção de Equipamentos da Regap. O documento deve começar a valer nos próximos dias.
O caso teve início com um processo aberto pelo Sindipetro/MG em 2011, pedindo que o serviço realizado pelos empregados do setor durante as paradas de manutenção fosse feito em regime de turno. Porém, a Justiça proibiu a realização de horas extras, o que acabou sendo prejudicial, pois não só deixou de atender à reivindicação inicial da categoria, como também impediu que se fizesse hora extra no horário noturno.
O Sindipetro/MG fez uma assembleia com os empregados e eles deliberaram pela prática de uma jornada de 10h no horário noturno. Em junho a proposta foi acertada entre o Sindicato e a empresa, mas o acordo só tem validade após homologação da Petrobrás.

Resultado Total – Assembleias Minas Gerais:

Rejeição da proposta da Petrobrás para o ACT 2017-2019 Aprovação do mote: “Com redução de direitos, não tem acordo” Aprovação do estado de Greve e  Assembleia Permanente Aprovação do fim das interinidades
299 favoráveis 299 favoráveis 297 favoráveis 290 favoráveis
0 contrários 0 contrários 2 contrários 3 contrários
0 abstenções 0 abstenções 0 abstenções 6 abstenções
Petroleiros de Minas rejeitam proposta da Petrobrás