Nota de solidariedade à greve de fome dos trabalhadores rurais Nota de solidariedade à greve de fome dos trabalhadores rurais

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 6 de dezembro de 2017

Todo apoio ao camponeses do MPA que entraram em greve de fome contra a Reforma da Previdência

A FUP se solidariza com Frei Sérgio Görgen, Josi Costa e Leila Meurer, militantes do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), que iniciaram uma greve de fome nesta terça-feira, 05/12, na Câmara dos Deputados Federais, para sensibilizar os parlamentares a não votarem a Reforma da Previdência.

Todo nosso apoio aos companheiros, que recorreram a esse gesto extremo, privando-se de alimentação por alguns dias para que os demais trabalhadores do campo e da cidade possam ter seus direitos preservados e não passem fome durante o resto de suas vidas, sem direito à aposentadoria.

Esse ato de resistência acontece exatamente 20 anos após a histórica greve de fome de Frei Sérgio, que durou 17 dias, em 1997, e foi fundamental para a conquista de uma política de crédito agrícola para os camponeses brasileiros.

O MPA tem sido um parceiro histórico da FUP e dos petroleiros na luta contra a entrega da Petrobrás e do Pré-Sal. Reafirmamos nosso apoio incondicional aos companheiros em greve de fome e conclamamos os demais trabalhadores a abraçarem a luta contra a Reforma da Previdência e barrar o desmonte do Estado brasileiro.

Nota: solidariedade à greve de fome dos trabalhadores rurais

A CUT manifesta seu apoio e solidariedade à Greve de Fome realizada pelos Camponeses do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), acampados desde o dia 5 de dezembro na Câmara dos Deputados Federal, em Brasília, como forma de repúdio à Reforma da Previdência que assombra os trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade.

Os três militantes do movimento camponês, Josineide Costa, Denise Meurer e Frei Sérgio, em ato de bravura, colocam suas vidas em risco em defesa de tantas outras contra a Reforma da Previdência, protagonizada pelo governo golpista.

A CUT apoia a greve de fome, solicita aos órgãos competentes, Câmara Federal e Governo Federal, que atenda às reivindicações apresentadas, preservando a vida dos manifestantes e o direito à aposentadoria historicamente conquistados e convoca toda a população brasileira a tomar às ruas contra o desmonte das políticas sócias feitas pelo governo golpista.

São Paulo, 5 de novembro de 2017

Direção Executiva da CUT Nacional

Nota de solidariedade à greve de fome dos trabalhadores rurais