Mulheres são minoria e ganham menos que homens na Petrobrás Mulheres são minoria e ganham menos que homens na Petrobrás

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 4 de maio de 2018

Dados sobre a participação feminina na Petrobrás apontam uma realidade alarmante em relação à desigualdade de gênero dentro da empresa. Além de serem apenas 17% do corpo de funcionários da estatal, as mulheres ainda ganham salários menores que os homens, mesmo desempenhando a mesma função.
Entre os trabalhadores concursados apenas 8% são mulheres. Entre os funcionários de nível superior, as mulheres ganham 28% a menos que homens. Já no nível médio, a diferença salarial é de 30%. E nas funções gerenciais, apenas 18% dos cargos são ocupados por elas.
Os dados foram apresentados pela pesquisadora do Ineep, Caroline Scotti Vilain, no segundo dia do 6º Encontro de Mulheres Petroleiras da FUP. Ela destacou a falta de menção a questões de gênero e raça no PNG da Petrobrás, o que representa a falta de preocupação com políticas de promoção de igualdade por parte da gestão de Pedro Parente, e mostrou como as mulheres são mais prejudicadas com o desmonte da empresa.

Cortejo
O dia começou com um cortejo até o Parque das Dunas em Natal, acompanhado pelo grupo Coco de Rosas, unindo as mulheres em defesa da Petrobrás como indutora do desenvolvimento e da soberania nacional.

Nísia Floresta é homenageada no 6º Encontro de Mulheres Petroleiras

A escritora potiguar Nísia floresta foi homenageada pelas petroleiras durante o  6º Encontro de Mulheres Petroleiras da FUP. Considerada a pioneira do feminismo no Brasil, Nísia escreveu 15 livros, entre eles O direito das mulheres, injustiça dos homens, que questiona os direitos das mulheres de sua época, ainda no século XIX. Ela foi uma grande defensora do direito à educação das mulheres, além de ter lutado pela abolição da escravidão e pelos direitos dos índios. Nísia também abriu um colégio para meninas – o Colégio Augusto, no Rio de Janeiro – que quebrava paradigmas na educação feminina do período. A escritora foi homenageada com um documentário produzido pelo Sindipetro/RN e com um quadro feito pela artista plástica Andreza Lanuza, que foi pintado em conjunto pelas mulheres presentes no encontro. As petroleiras Davina Valentim da Silva e Olga Natalina também foram homenageadas pelas trabalhadoras.

Mulheres são minoria e ganham menos que homens na Petrobrás