Sindipetro/MG alerta sobre a desadesão ao convênio INSS/Petros Sindipetro/MG alerta sobre a desadesão ao convênio INSS/Petros

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 9 de maio de 2018

Em razão das contribuições extraordinárias relativas ao plano de equacionamento do Plano Petros 1, alguns aposentados estariam deixando o convênio INSS/Petros. Segundo informações obtidas pelo Sindipetro/MG, pelo menos 50 pessoas já teriam encerrado o convênio só em Minas.

Isso porque, em razão do valor dos descontos, os aposentados não mais teriam margem consignável para obtenção de empréstimos junto à Petros. No entanto, o Sindicato alerta que, ao deixar o convênio INSS/Petros, o aposentado deixa de receber o adiantamento da aposentadoria no dia 10 e também não tem mais o desconto da AMS em folha – o pagamento passa a ser feito via boleto.

Se o beneficiário não tiver seu cadastro atualizado junto à Petros/AMS, ele corre o risco de não receber o boleto em casa e, se deixar de pagar a AMS por 60 dias, ele e seus beneficiários terão o plano suspenso e, após 90 dias, perderão o direito à assistência de saúde de forma definitiva.
Por isso, o Sindipetro/MG orienta que os aposentados não deixem o convênio INSS/Petros ou, se o deixarem, que se certifiquem de que seu cadastro junto à Petros e AMS estão atualizados.

Sindipetro/MG alerta sobre a desadesão ao convênio INSS/Petros