FUP reforça urgência da reabertura da Fafen-PR em reunião com a Ansa e no Confert FUP reforça urgência da reabertura da Fafen-PR em reunião com a Ansa e no Confert

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 15 de junho de 2023

FUP reforça urgência da reabertura da Fafen-PR em reunião com a Ansa e no Confert


por FUP

 

Dirigentes da FUP, do Sindiquímica Paraná, do Sindipetro PR e SC e do Sindmont PR (que representa os trabalhadores de manutenção) participaram nesta quinta-feira, 15, de reunião com a nova gerência da ANSA, subsidiária responsável pela Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR). A reunião foi realizada em conjunto com a comissão recém-criada pela Petrobrás para estudar a reabertura da unidade.

O objetivo do encontro foi discutir a nova visão da empresa para o setor de fertilizantes e, principalmente, o futuro da Fafen PR, pauta que já vem sendo discutida desde a campanha eleitoral e que tem sido fortalecida pela presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann.

A FUP enfatizou que a reabertura da fábrica é uma das principais prioridades do movimento sindical petroleiro e cobrou que a Petrobrás volte a ter relevância na produção nacional de fertilizantes. Além da necessidade da estatal voltar operar o mais rápido possível a Fafen PR, foi também reforçada na reunião a necessidade da empresa retomar os investimentos para a conclusão e abertura da Fafen MS e a construção de novas unidades.

 

Os dirigentes sindicais defenderam que a Petrobrás seja o principal motor da indústria nacional de fertilizantes e frisaram que a reabertura da Fafen PR é o primeiro passo nesse sentido, já que a fábrica tem plenas condições de ser reativada.

Os representantes da Petrobrás afirmaram que há interesse da nova gestão em fortalecer a participação da empresa no setor de fertilizantes, conforme já anunciado publicamente. Eles reconheceram a importância do setor para a soberania nacional e afirmaram que a estatal pode contribuir para o país reduza a forte dependência que tem da importação de fertilizantes.

Os gestores da Ansa e da Petrobrás informaram que a comissão já está iniciando os estudos para o retorno da operação da Fafen PR, destacando a complexidade do processo pelo fato da planta estar há três anos hibernada. Eles reconheceram a necessidade de um corpo técnico experiente para o retorno da produção.

A FUP e os sindicatos cobraram participação no processo de reabertura da Fafen-PR e enfatizaram a importância da priorização da contratação dos trabalhadores que operavam a unidade, ressaltando o alto grau de conhecimento que eles têm da fábrica.

Os representantes da Petrobrás e da Ansa também se comprometeram a realizar reuniões periódicas com a FUP e os sindicatos para acompanhamento do processo de retomada da operação da Fafen-PR. A expectativa das entidades sindicais é de que a fábrica saia da hibernação o mais rápido possível para que volte a receber investimentos e a gerar empregos e renda, abastecendo o país com fertilizantes e demais insumos.

 

FUP participa da primeira reunião do Confert

O papel estratégico da Petrobrás para que o Brasil reduza a dependência externa de fertilizantes foi ressaltada na primeira reunião do novo Confert (Conselho Nacional de Fertilizantes), realizada ontem (14/06), em Brasília, na sede do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

 

A FUP é uma das entidades que têm assento no Conselho e foi representada na reunião pelo petroquímico Ademir Jacinto da Silva, diretor do Sindiquímica PR, que trabalhou 19 anos e seis meses na Fafen PR, mas foi demitido junto com cerca de mil trabalhadores, após o fechamento da fábrica, em março de 2020.

O Confert é presidido pelo vice-presidente Geraldo Alckmin, que também é ministro do MDIC, e contou com a presença do presidente da Petrobrás, Jean Paul Prates, na sua primeira reunião, além dos ministros Carlos Fávaro (Agricultura e Pecuária) e Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar).

A reabertura da Fafen PR e a conclusão da fábrica de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, ativos estratégicos da Petrobrás, foram medidas imediatas defendidas para ampliar a produção nacional de fertilizantes.

A principal tarefa do novo Confert é revisar, debater e implementar o Plano Nacional de Fertilizantes (PNF), cujo objetivo é reduzir a dependência externa. Hoje, 85% dos fertilizantes usados nas plantações brasileiras são importados.

Entre os principais encaminhamento da primeira reunião do Conselho está a criação de um Grupo do Trabalho com prazo de 90 dias para entregar a revisão do PNF, seguindo as diretrizes do decreto presidencial que reestruturou o conselho.