Vitória da Categoria: Regap suspende terceirização no GPI Vitória da Categoria: Regap suspende terceirização no GPI

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 30 de junho de 2023

A gerência acatou a solicitação do sindicato dos petroleiros de que a informação da suspensão seja comunicada às equipes do GPI pelas gerências responsáveis


por Sindipetro/MG

 

Em reunião realizada nesta terça-feira (27) entre a diretoria do Sindipetro/MG e a gerência da Regap, foi anunciada a suspensão da terceirização no Grupo de Planejamento de Intervenções (GPI). A decisão acontece após o sindicato questionar a contratação de técnicos para a equipe, levantando denúncias de terceirização velada e de precarização das condições de trabalho.

Em reuniões anteriores, o Sindipetro/MG expressou preocupações com os impactos na segurança industrial decorrentes da contratação de mão de obra terceirizada sem a devida experiência e capacitação no setor de refino. Além disso, destacou também as pioras nas condições de trabalho e salários oferecidos. Para o sindicato, a solução para a melhoria do GPI é a reposição do efetivo do grupo com técnicos de operação, que sofreram cortes nos últimos anos. A gerência também acatou a solicitação do sindicato dos petroleiros de que a informação da suspensão seja comunicada às equipes do GPI pelas gerências responsáveis.

Além disso, a gerência se comprometeu a avaliar, junto com os petroleiros e petroleiras dos setores envolvidos, o reaproveitamento da força de trabalho contratada. Dessa forma, será enviada uma proposta de novas atribuições e ajustes na contratação, incluindo questões relacionadas ao treinamento.

O coordenador-geral do Sindipetro/MG, Guilherme Alves, destacou essa conquista como uma vitória importante da categoria, ressaltando a necessidade de reconstruir a Petrobrás e retomar um ambiente de trabalho saudável após as condições precárias estabelecidas anteriormente. “O compromisso da atual gestão da refinaria em suspender esse projeto bolsonarista de precarização do GPI é uma importante vitória da nossa categoria”, afirmou.

Guilherme Alves expressou também a preocupação em ver avanços na precarização dos postos de trabalho no início do governo Lula, que foi eleito com a promessa de mudanças. “Ainda temos um longo caminho para reconstruir a Petrobrás e retomar um ambiente de trabalho saudável, após uma profunda piora das condições de trabalho. Seria muito ruim no início do governo Lula, eleito para trazer mudanças, vermos o avanço de mais postos de trabalho precarizados na Regap”, complementou.

Essa conquista acontece após a realização de uma série de reuniões entre o Sindipetro/MG e a gerência da Regap. Apesar dessa vitória, há também intenção de avanço na terceirização do SMS no GPI e na Parada de Manutenção.
Além disso, a gerência da Regap ainda não apresentou soluções concretas para os demais problemas apontados pelo sindicato, como a questão do transporte de turno, relógio de ponto, efetivo e acordos de parada.