Reunião de SMS: Sindicato cobra demandas de segurança na UTE-IBT Reunião de SMS: Sindicato cobra demandas de segurança na UTE-IBT

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 14 de julho de 2023

 

No dia 13 de julho, foi realizada reunião da Comissão de SMS da Usina Termelétrica de Ibirité (UTE-IBT) com a presença dos diretores do Sindipetro/MG, Felipe Pinheiro e João Henrique de Souza, e representantes da Gerência da Usina, de SMS, das Relações Sindicais e da CIPA. 

De início foram retomadas as pautas tratadas na última reunião, como a falta de água potável no prédio de controle e área industrial. A Gerência disse que a situação está parcialmente solucionada, com a interligação dos pontos de alimentação para chuveiros e lava-olhos de emergência com nova rede de água potável. Também informou que a pressão dos chuveiros e lava-olhos de emergência está sendo monitorada e que não houve falta de água no Prédio de Controle novamente. 

Sobre o ponto cobrado várias vezes pelo Sindicato quanto a segurança contra invasões na unidade, a Gerência retornou dizendo que o relatório apresentado pelo setor de Segurança Patrimonial da Petrobrás (ISC) prevê melhorias e está em análise pela gerência local. Assim como, em paralelo, estão sendo adotadas medidas mitigadoras para melhorar a segurança contra invasões na unidade. 

O Sindicato ressaltou a criticidade do tema e a necessidade da adoção de medidas de curto prazo, especialmente pela ocorrência de prisão de invasor nas dependências da Usina recentemente. Foi reforçado o pedido de retorno do efetivo mínimo de três vigilantes por turno, como já implementado no passado. A Gerência se comprometeu a avaliar o pleito e afirmou que haverá reforço de efetivo durante a Parada de Manutenção.

Demandas da CIPA

O Sindicato encaminhou uma série de demandas conforme pontos levantados por inspeções da CIPA. Um deles é relativo à estrutura definitiva da Caldeiraria. O Sindicato cobrou uma solução definitiva para área de trabalho e equipe de caldeiraria, atualmente alocada em espaço provisório, com uso de lonas e estruturas de andaime.

Outro ponto foi sobre os contêineres de produtos químicos. O Sindicato questionou sobre a logística de armazenamento de contêineres de produtos químicos da Torre de Resfriamento, que atualmente mantém volumes armazenados fora do dique de contenção. Foram citadas as restrições para drenagem em caso de grandes vazamentos e sobre o caso verificado pela CIPA de contêineres apresentando rachaduras por exposição a intempéries. A Gerência ficou de avaliar o plano de ação para soluções sobre a logística/estoque de produtos químicos.

Drenagem do Tail Basin e circulação do Tanque de Neutralização

O Sindicato questionou sobre os riscos ergonômicos e de SMS envolvendo manobras para drenagem do Tail Basin e circulação do Tanque de Neutralização por indisponibilidade total de bombas por longo período. A Gerência retornou que irá cobrar prioridade ao setor de Planejamento de Manutenção.

Quanto ao acesso à HV-015, foi cobrado a instalação de acesso definitivo e seguro para intervenções e operação da válvula motorizada HV-015, do sistema de vapor. E a resposta da Gerência é que já há avaliação no Sistema de Gestão de Mudanças (SGM), além da instalação de andaime provisório. A operação remota da válvula foi restabelecida.

Parada de Manutenção e Brigada de Emergência

O Sindicato questionou sobre o planejamento da Parada de Manutenção, prevista para o próximo mês, diante das reclamações de falta de informações entre os  trabalhadores. Também cobrou esclarecimentos sobre questões de SMS (efetivo de técnicos de segurança e socorristas/resgatistas), sobre as jornadas de trabalho (inclusive sobre as demandas noturnas) e sobre a infraestrutura (escala para alimentação, disponibilidade de banheiros e área de vivência/descanso). 

A Gerência se comprometeu a avaliar e ficou de realizar uma apresentação ao Sindicato e à categoria sobre os pontos questionados até o final do mês de julho. 

Outra demanda discutida na reunião foi sobre a Brigada de Emergência. Como já mencionado em reuniões anteriores, o Sindicato levantou uma série de questionamentos para esclarecimentos e busca por melhorias sobre a Brigada de Emergência local (Veja o ofício).